TST nega dano existencial a motorista por falta de provas

A Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho negou pagamento de indenização, no valor de R$ 15 mil, a um motorista de caminhão por dano existencial.

Na reclamação trabalhista, o motorista afirmava ter sofrido prejuízo familiar ou social em razão da jornada considerada extenuante, entretanto o funcionário não o comprovou.

Dessa forma, a Corte excluiu da condenação imposta a uma transportadora o pagamento da indenização.

Fonte TST