TST nega danos materiais a funcionário desligado durante tratamento psicológico

A decisão foi confirmada pela 2ª Turma do TST.


Na ação, o funcionário  sustentava nexo causal entre o seu tratamento psicológico e as atividades na empresa.

Entretanto, avaliar o caso, o TRT que compreendeu o  tratamento psicológico se originou no sequenciamento de um parente do empreendimento . Sendo  em estado de problematização, que estado por meio de uma atividade desenvolvida por meio de uma atividade técnica.

Fonte: TST